Simões Filho: População com comorbidades sofre com a falta de planejamento e profissionais da Educação, tem suspensa a vacinação.

1090

O município de Simões Filho, localizado na RMS – Região Metropolitana de Salvador, sob administração do MDB, prefeito Diógenes Tolentino, através da Secretária Municipal de Saúde, realizou a Campanha de Vacinação e Imunização COvid19, ontem, 20, para cidadãos que possuem  algum tipo de comorbidades.

DRIVE-THRU

Em um dia ensolarado, formou-se uma extensa fila de veículos, em toda extensão da Av. Elmo Cerejo de Farias, em um atendimento demorado, que causou desconforto aos que buscaram a referida dose vacinal.

FALTA DE LUZ

O atendimento estendeu-se até o inicio da noite, como o DRIVE-THRU, não havia iluminação, os profissionais que participavam do atendimento deslocou-se para o predio, alugado, em que funciona a Central de Regulação, como lá também a escuridão imperava, foi realizada uma ação de inusitado improviso, e diversos veículos permaneceram com o faróis acesos para proporcionar, a mínima condição para que os profissionais aplicassem as vacinas, em um ambiente, inadequado e mal planejado, assistam vídeo divulgado nas redes sociais, em uma narrativa perplexa de uma cidadã.

Mais um carimbo da eficiente gestão comandada pelo prefeito Dinha- MDB, sob a conivência de um Legislativo que não fiscaliza, tudo com o selo Boa Terra Boa Gente de Qualidade…

SUSPENSA VACINAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO

A referida suspensão acontece desde o dia 07/05, tem-se a informação, extraoficial, de que outros grupos também têm sofrido com referida suspensão.

Em Simões Filho, não há uma sequência de imunização, um calendário confiável. Comparando-se à outros municípios da RMS – Região Metropolitana de Salvador, organizado por faixa etária, comorbidaeds e demais  públicos considerados prioritários.

A gestão da Saúde , disponibilizou aos profissionais da educação apenas para a faixa etária entre 57 anos a cima e depois 55 , suspensa já em 07.05).

Simões Filho x Salvador

Profissionais alegam um recorrente problema, pois vários docentes, residentes em Salvador, e lotados na SEMED – Simões Filho, vivem uma pitoresca situação: Não conseguem vacinar-se na cidade em que exercem suas funções, Simões Filho por não terem comprovante de residência.

Ficam sem acesso à vacina em Salvador, ou seu município por não comprovarem comprovação de lotação nas respectivas secretarias de Educação.

O Ministério Público – Bahia, já f oi acionado.

“O seu apoio mantém o jornalismo vivo. O jornalismo tem um papel fundamental em nossa sociedade. O papel de informar, de esclarecer, de contar a verdade e trazer luz para o que, muitas vezes, está no escuro.

Compromisso com a Verdade, esse é o trabalho de um jornalista e a missão do Redação Nacional.

Precisamos de você e do seu apoio, pois juntos nós podemos, através de matérias iguais a essa que você acabou de ler, buscar as transformações que tanto queremos.”

Deixe uma Resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui