Salvador: Registra mais um flagrante de suicídio, uma sociedade levada ao limite emocional

451

Salvador: O Estado da Bahia registra um dos mais trágicos fenômenos desses tempos de pandemia Novo Coronavírus, além do expressivo número de mais de 365 mil, registros de óbitos desde o inicio da pandemia Sars-Cov2…

Trata-se da crescente onda no registros de suicídios, em Salvador, na manhã desta Sexta, 16, lamentavelmente, tivemos o registro de mais uma ocorrência. 

Desta vez o fato foi registrado próximo à Rótula do Abacaxi, um dos mais importantes pontos de mobilidade urbana de Salvador, com acesso à BR 324 e Zona Portuária, em um Condomínio próximo área militar.

A ocorrência foi gravada e dovulgada nas Redes Sociais, a Equipe de Jornalismo do Redação Nacional, manteve contato com as autoridades, e até o momento não obtivemos maiores informações sobre a vítima, tão pouco sobre quais fatores devem ter levado à essa atitude extrema de atentar-se contra a própria vida.

CENA FORTE, DO REFERIDO ATO SUICIDA.

PRINCIPAIS CAUSAS QUE LEVAM AO SUICIDIO:

Medicina (CFM), organiza nacionalmente o “Setembro Amarelo”, sendo o dia 10 deste mês, oficialmente, o ”Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio”. Esta campanha é de fundamental importância por destinar um mês todo a um problema que não pode ser deixado de lado em nenhum dos doze meses do ano.

O suicídio é a segunda maior causa de morte de jovens entre 15 e 29 entre meninas (atrás apenas de complicações na gravidez) e a terceira entre meninos (perdendo para violência e acidentes de trânsito) no mundo, sendo que 79% dos casos se concentram em países de baixa e média renda (OMS, 2019).

No Brasil, segundo o Ministério da Saúde (2019), no período entre 2007 e 2016, foram registrados no Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM) 106.374 óbitos por suicídio. Em 2016, a taxa chegou a 5,8 por 100 mil habitantes, com a notificação de 11.433 mortes por essa causa, sendo a grande maioria entre homens, segundo a entidade (OMS).

A psicóloga Bárbara Kolstock Monteiro, profissional que presta serviço de apoio no IFSC/USP, salienta que a cada 40 segundos uma pessoa se suicida e a cada 3 segundos alguma pessoa atenta contra a própria vida! Neste momento de pandemia e de distanciamento social, alguns estudos têm apontado para o aumento destes números, exigindo ainda mais atenção. Qualquer pessoa pode cometer suicídio, porém alguns fatores aumentam esses riscos. São eles:

– Abuso sexual na infância;

– Alta recente de internação psiquiátrica;

– Doenças incapacitantes;

– Impulsividade/Agressividade;

– Isolamento Social*;

– Histórico de suicídio na família;

– Tentativa anterior de suicídio;

– Doenças Mentais;

“Considerando a diversidade de fatores de risco, as estratégias mais eficientes são a identificação precoce de comportamentos, acompanhamento de pessoas em situação de risco e a criação de programas para ajudar jovens a lidar com os problemas que surgem ao longo da vida, sendo esta a maior motivação para a criação de nosso programa “IFSC e o Bem-estar de sua Comunidade”, enfatiza a psicóloga, que acrescenta: “Ao perceber qualquer indicativo em você ou algum amigo, procure ajuda! Entre os fatores de proteção que podem ajudar na redução das tentativas, temos:

– Aumento do contato com familiares e amigos;

– Buscar e seguir tratamento adequado para doença mental;

– Envolvimento em atividades religiosas ou espirituais;

– Iniciar atividades prazerosas ou que tenham significado (hobbies, trabalho voluntário., etc.) ;

– Reduzir ou evitar o uso de álcool e outras drogas;

É comum que em situações de crises, especialmente se a pessoa tem uma doença mental, surjam pensamentos de morte e mesmo de suicídio. Caso isso ocorra, procure ajuda imediatamente! Muitas vezes, esses pensamentos são manifestados por frases de alerta, nos quais a pessoa sinaliza que não está bem. Não subestime e nem julgue alguém que diz que quer se matar; é mito dizer que pessoas fazem isso como manipulação, ou que quem quer mesmo, não fala.

Depressão / Desesperança / Desamparo Desespero

Nestes casos, frases de alerta + 4D, é preciso tomar muito cuidado!”

Vídeo: Redes Sociais.

“O seu apoio mantém o jornalismo vivo. O jornalismo tem um papel fundamental em nossa sociedade. O papel de informar, de esclarecer, de contar a verdade e trazer luz para o que, muitas vezes, está no escuro.

Esse é o trabalho de um jornalista e a missão do Redação Nacional.

Precisamos de você e do seu apoio, pois juntos nós podemos, através de matérias iguais a essa que você acabou de ler, buscar as transformações que tanto queremos.