“Garotinhos” presos por fraudes em obras em Campos delatadas pela Odebrecht

19

RIO – Uma operação do Ministério Público do estado e da Coordenadoria de Segurança e Inteligência prendeu, na manhã desta terça-feira, os ex-governadores Anthony Garotinho e Rosinha Matheus. Eles foram presos em seu apartamento, no Flamengo, na Zona Sul do Rio, e levados para a Cidade da Polícia, no Jacaré, na Zona Norte da cidade. Além deles, outras três pessoas são alvo da operação: Sérgio dos Santos Barcelos, Ângelo Alvarenga Cardoso Gomes e Gabriela Trindade Quintanilha. Os pedidos foram feitos em razão de investigações sobre superfaturamento em contratos celebrados entre a Prefeitura de Campos e a construtora Odebrecht, para a construção de casas populares dos programas Morar Feliz I e Morar Feliz II durante os dois mandatos de Rosinha como prefeita (2009/2016). Em nota divulgada à imprensa, o MPRJ informou que dois executivos da Odebrecht divulgaram as irregularidades nos contratos em declarações prestadas ao Ministério Público Federal. Leandro Andrade Azevedo e Benedicto Barbosa da Silva Junior afirmaram que a construtora foi favorecida nas licitações superfaturadas avaliadas em R$ 1 bilhão para construção de cerca de 10 mil moradias e forneceram as informações por meio de um acordo de colaboração, firmado no âmbito da operação Lava-Jato. De acordo com o MPRJ, o superfaturamento nos contratos foi da ordem de R$ 50 milhões. Com as prisões desta terça-feira, são quatro os ex-governadores do Rio presos: Rosinha, Garotinho, Pezão e Cabral. *Com informações Agência GLobo. “O seu apoio mantém o jornalismo vivo. O jornalismo tem um papel fundamental em nossa sociedade. O papel de informar, de esclarecer, de contar a verdade e trazer luz para o que, muitas vezes, está no escuro. Esse é o trabalho de um jornalista e a missão do Redação Nacional. Mas para isso, nós precisamos de você e do seu apoio, pois juntos nós podemos, através de matérias iguais a essa que você acabou de ler, buscar as transformações que tanto queremos.” Copyright © 2019, Redação Nacional. Todos os direitos reservados.

Deixe uma Resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui