Conscientização: População Quilombola, tem distribuição de máscara e informações sobre Covid19

101

Simões Filho: Município da RMS – Região Metropolitana de Salvador a comunidade Quilombola também vive momentos de insegurança diante da maior crise sanitária mundial. A pandemia trazida pelo COVID19, atinge de forma mais agressiva a população Negra, as estatísticas tem demonstrado um maior índice de infecção e óbitos no cidadãos afrodescendentes. MOBILIZAÇÃO Na última Sexta, 19, foi realizado uma ação de conscientização, junto à comunidade Quilombola ligada às Associações Semente de Pitanga – Presidente Sra. Claudinéia dos Santos e Associação Muzanzu – Presidida pela Sra. Maria Bernadete Pacífico Moreira, uma das mais respeitadas líderes dos povos Quilombolas, por sua dedicação exclusiva na busca de políticas públicas à favor dos descendentes dos escravos, enquanto Coordenadora Nacional Quilombola. SESAB A Secretária Estadual de Saúde, através do Superintendente Dr Luiz António Fonseca, representado pelos Senhores António e Biraci, trouxeram uma grande quantidade de máscaras para serem distribuídas ás mais de 700 famílias da comunidade, tendo os agentes de saúde, orientado sobre as principais ações de higiene e a utilização correta das mascáras e sua higienização diária. MULHERES, LÍDERES Segundo as líderes Quilombolas, Sra. Claudinéia dos Santos e Dona Bernadete Pacifico, inserir nesta ação de cunho social a população carcerária, contando com o irrestrito apoio do Diretor da Colonia Penal de Simões Filho – Comandante Marcelo Jorge, demonstra que a polícia, pode desempenhar o importante papel, nas ações de Responsabilidade Social, o agradecimento é extensivo à participação dos oficiais da Polícia Militar, através das informações e instruções trazidas através do Major Luiz Alan da Silva Costa, em uma demonstração de que os agentes de segurança podem aproximar-se da população Negra, e exercer funções de auxílio e educação sanitária. CONTINUA APÓS PUBLICIDADE DONA BERNADETE “Foram momentos importantes. termos os membros da segurança pública do estado, em ação, exclusivamente, educativa. Aproximando-se do povo Quilombola, com respeito, sem arrogância, uma demonstração de que os representantes das Associações Quilombolas podem, junto com os membros do estado desenvolver ações conjuntas que tragam informações, saúde e bem estar que é um direito das comunidade Quilombolas. O Negro, não pode ser somente visto como inimigo das autoridades aqui no Quilombo todos são do bem…” Disse Dona Bernadete Pacífico ao Redação Nacional. POLÍCIA MILITAR “Considero importante a presença da Polícia Militar, em ações de educação e saúde trata-se de uma tradição da corporação, aproximar-se das comunidades através do PROERD, levando as crianças informações sobre os riscos dos álcool, cigarro e outras substâncias que podem causar danos à saúde. E, neste momento de pandemia não podia ser diferente, virmos conversar sobre os riscos do COVID19, colaborar na distribuição das máscaras ter esse contato direto com a comunidade Quilombola, foi uma ótima experiência, estamos iniciando nosso trabalho à frente da 22ª CIPM e queremos caminhar juntos com essa comunidade, como agente de estado seremos parceiros das ações em defesa da comunidade Negra de Simões Filho…” falou o Major Alan Costa. COMUNIDADE CARCERÁRIA “Em todo Brasil o sistema carcerário, dispensa redobrada atenção em tomar todas as medidas de proteção, ara que o COVID19 não alcance os profissionais da segurança pública e a população carcerária, sob custódia do Estado. Portanto, ações como essa de levar a informação e distribuir equipamento de segurança individual, as máscaras, é fundamental como forma de educar e proteger, funcionários, comunidade e internos. Portanto, quero parabenizar Sra. Claudinéia e Dona Bernadete Pacífico, verdadeiras líderes por essa ação social. Sempre que nescesário posem contar com a nossa participação…” pontuou o Diretor da Colonia Penal de Simões Filho – Comandante Marcelo Jorge Fonte: Redação Nacional ” O jornalismo tem o papel de informar, de esclarecer, de contar a verdade e trazer luz para o que, muitas vezes, está no escuro. Esse é o trabalho de um jornalista e a missão do Redação Nacional. Mas para isso, nós precisamos de você e do seu apoio, pois juntos nós podemos, através de matérias iguais a essa que você acabou de ler, buscar as transformações que tanto queremos.” Copyright © 2019, Redação Nacional. Todos os direitos reservados