Mais de 100 alunos bebem água contaminada no México; suspeita é de cocaína

59

SÃO PAULO, SP (UOL-FOLHAPRESS) – Mais de 100 estudantes de uma escola no México foram envenenados na última sexta-feira (7) por beber água contaminada com drogas. O incidente ocorreu no município de Bochil, localizado no estado de Chiapas, onde os alunos da escola Juana de Asbaje apresentaram sintomas de intoxicação.

De acordo com o jornal Clarín, da Argentina, jovens entre 13 e 15 anos, em média, começaram a desmaiar ou ter convulsões logo após ingerirem água no colégio. Segundo o El País, os alunos também sentiam dores no estômago e há suspeita de que se tratava de cocaína.

Conforme informações divulgadas pelo Instituto Mexicano de Segurança Social (IMSS) até a tarde de sábado (8), 57 estudantes foram atendidos no hospital rural de Bochil – 55 deles já receberam alta e um permanece estável e em observação.

Em um vídeo compartilhado pela agência mexicana de notícias RI Oaxaca, nas redes sociais, é possível observar o momento que as crianças chegam à unidade de saúde.

A Polícia Preventiva municipal, estadual e a Guarda Nacional, apoiadas por elementos de proteção, precisaram ser acionadas e deslocaram-se até o local para garantir atendimento médico às vítimas. Investigações sobre as causas da intoxicação em massa também foram iniciadas.
A Procuradoria Geral do Estado informou em sua conta oficial no Twitter, que começou a realizar exames toxicológicos nos alunos da instituição e que todos deram "negativos para drogas".

O El País aponta, no entanto, que alguns familiares das vítimas os levaram para uma clínica particular e os exames, segundo eles, mostraram que suas filhas e filhos sofriam de intoxicação por cocaína.

Ainda segundo o Clarín, este é o terceiro caso de envenenamento em uma escola em menos de um mês no estado de Chiapas. Os dois anteriores ocorreram no município de Tapachula, em dois estabelecimentos de ensino. O primeiro dos casos foi registrado no final de setembro, quando 34 alunos estavam embriagados, enquanto o segundo caso teve origem na quinta-feira passada, quando foram notificados 10 estudantes com a mesma condição.

Fonte: Notícias ao Minuto