Luto na Colina, morre Roberto Dinamite, o maior ídolo do Vasco da Gama

Morreu, neste domingo, Roberto Dinamite, considerado maior ídolo da história do Vasco, após lutar contra um câncer no intestino descoberto em 2021. Em janeiro de 2022, Dinamite revelou que daria início a um tratamento de quimioterapia após a descoberta de tumores. O diagnóstico veio por meio de exames realizados no fim de dezembro, quando esteve internado para tratar uma obstrução no intestino.

“Notícia dura, mas eu só tenho uma opção: Levantar a cabeça e enfrentar essa batalha”, escreveu o ex-jogador no Instagram. “Essa semana iniciarei meu tratamento de quimioterapia buscando uma pronta recuperação para retornar o quanto antes às minhas atividades”.

O Vasco declarou luto oficial de sete dias pela morte do maior ídolo. Foram incríveis 1.110 jogos vestindo a faixa transversal com a cruz de malta em vermelho bordada no peito, marca superada apenas por Rogério Ceni no São Paulo e Pelé no Santos. Como jogador do clube carioca, Roberto conquistou o Campeonato Brasileiro de 1974 (onde foi o artilheiro da competição com 16 gols), e os Estaduais de 1977, 1982, 1987, 1988 e 1992, além de taças e torneios no Brasil e exterior.

Dinamite ganhou o apelido no início de sua carreira, em um jogo entre Vasco e Internacional, no Maracanã, em 1971. O Jornal dos Sports destacou o chute forte do jovem e o chamou de “Garoto Dinamite” no seu primeiro gol com a camisa do time. Ele também atuou por Barcelona, da Espanha, além da Portuguesa e Campo Grande. Ele representou a seleção brasileira em duas Copas do Mundo.

Além de jogador e presidente do Vasco, Roberto também teve atuação na política. Entre 1992 e 2014, teve vários mandatos no Rio de Janeiro, inicialmente como vereador da capital, entre 1992 e 1994, e depois como deputado estadual – por cinco legislaturas, entre 1994 e 2014. Ele foi filiado ao PSDB e ao PMDB, atual MDB.

Fonte: Agência Estado

“O seu apoio mantém o jornalismo vivo. O jornalismo tem um papel fundamental em nossa sociedade. O papel de informar, de esclarecer, de contar a verdade e trazer luz para o que, muitas vezes, está no escuro.

Esse é o trabalho de um jornalista e a missão do Redação Nacional.

Precisamos de você e do seu apoio, pois juntos nós podemos, através de matérias iguais a essa que você acabou de ler, buscar as transformações que tanto queremos.”

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.