ITAMARATY: Falha na defesa das minorias se opondo aos princípios humanistas e civilizatórios

ITAMARATY: O governo petista não parece se esforçar o bastante para superar os vexames na diplomacia da gestão anterior. Declarações desastrosas de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sobre Venezuela, guerra Israel-Hamas e Ucrânia representam a faceta personalista do problema.

Mulheres protestam contra o assassiato de Mahsa Amini, em Istambul (Turquia)

Ozan Kose – 20.set.22/AFP

Causa espécie que também o Itamaraty, em ações oficiais, não trate com a devida gravidade as violações aos direitos humanos perpetradas por Irã e Rússia.

Na quinta (4), o Brasil se absteve de votar a resolução do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas que prorroga a missão para investigar abusos das forças iranianas contra os protestos desencadeados após o assassinato da jovem Mahsa Amini, devido ao uso incorreto do véu islâmico.

A justificativa do Itamaraty foi a de que o Irã estaria intensificando “esforços para melhorar a situação de direitos humanos no país”. Mas, desde sua criação em novembro de 2022, a missão foi rechaçada pelo regime teocrático, e não há sinal de que as violações irão cessar.

Um ano após a morte de Amini, o Parlamento endureceu a lei contra mulheres que não usam o véu, com penas de multa e prisão.

Iranianas durante manifestação a favor do hijab em Teerã, em 12 de julho de 2023 – AFP/Arquivos

Durante os protestos, mais de 500 pessoas morreram, incluindo cerca de 70 menores de idade; centenas ficaram feridas; milhares foram presas e ao menos sete foram executadas pelo Estado.

Em março de 2023, o relator especial da ONU para o Irã, Javaid Rehman, afirmou que colheu relatos de torturas e que as ações do regime poderiam ser enquadradas como crimes contra a humanidade.

A vergonhosa abstenção do Itamaraty no caso iraniano soma-se a outra, também neste abril, sobre a extensão do prazo da comissão que investiga crimes de guerra praticados pela Rússia na Ucrânia.

Para o Ministério das Relações Exteriores, a resolução “coloca o fardo das violações dos direitos humanos apenas em um lado do conflito” —como se o país invadido fosse tão culpado quanto o invasor.

Assim, o Itamaraty não apenas contraria o discurso petista de defesa das minorias como se opõe a princípios humanistas e civilizatórios que deveriam nortear a posição do Brasil no âmbito global.

Fonte: Folha de São Paulo

“O seu apoio mantém o jornalismo vivo. O jornalismo tem um papel fundamental em nossa sociedade. O papel de informar, de esclarecer, de contar a verdade e trazer luz para o que, muitas vezes, está no escuro.

Compromisso com a Verdade, esse é o trabalho de um jornalista e a missão do Redação Nacional.

Precisamos de você e do seu apoio, pois juntos nós podemos, através de matérias iguais a essa que você acabou de ler, buscar as transformações que tanto queremos”

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.