Governo Federal: Já disponibilizou valor referente precatórios do Fundef ao governo da Bahia
Precatórios – Fundef: Agora o repasse depende da aprovação de documento a ser encaminhado à Assembleia Legislativa

O dinheiro dos precatórios do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino

Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef), de 2022, foi disponibilizado pelo Tribunal de Contas da União (TCU) para transferência ao estado da Bahia. Do valor a ser recebido, 60% deverão ser distribuídos entre os profissionais da educação que trabalharam entre 1998 e 2006. Para que o repasse seja iniciado, resta apenas que o governador encaminhe um Projeto de Lei para a Assembleia Legislativa do Estado (Alba).

Todo o processo vem sendo acompanhado por um grupo de entidades representativas dos profissionais da educação, reunidos em uma campanha intitulada “Regulamenta Já”, integrado pela Associação Classista de Educação e Esporte da Bahia (Aceb), Confederação dos Servidores Públicos do Brasil (CSPB), Federação dos Trabalhadores Públicos do Estado da Bahia (Fetrab), Associação dos Funcionários Públicos do Estado da Bahia (AFPEB) e Sociedade Unificadora de Professores (SUP). 

 

 

Foto: ACEB – Associação Classista de Educação e Esporte da Bahia

Para o movimento, a transferência representa a primeira vitória na luta pelo pagamento dos valores devidos aos professores, mas que poderia ter ocorrido antes, se não fosse pela apelação da Associação de Professores Licenciados do Brasil (APLB Sindicato – BA), junto ao Supremo Tribunal Federal (STF), para descontar dos precatórios valores usados para o pagamento de advogados da entidade, que solicitou o recurso à Justiça ao menos duas vezes e teve o pedido recusado. 

“Felizmente, a diretoria da APLB desistiu de atrapalhar. Reconheceram a derrota e voltaram atrás nas apelações descabidas. Contudo, a luta da categoria ainda não acabou, pois só termina com o dinheiro na conta dos beneficiários. Por isso, governador, faça o possível para agilizar o trâmite da regulamentação. Vamos dividir essa grande vitória para a educação e para a categoria de professores e professoras”, convocou a coordenadora do coletivo, professora Marinalva Nunes.

A reportagem entrou em contato com o sindicato para esclarecer o pedido, mas até o momento desta publicação não houve resposta. O governo do estado também foi procurado para informar quando o Projeto de Lei será encaminhado à Assembleia Legislativa, mas ainda não houve retorno.

 

Fonte: Correio24

“O seu apoio mantém o jornalismo vivo. O jornalismo tem um papel fundamental em nossa sociedade. O papel de informar, de esclarecer, de contar a verdade e trazer luz para o que, muitas vezes, está no escuro.

Compromisso com a Verdade, esse é o trabalho de um jornalista e a missão do Redação Nacional.

Precisamos de você e do seu apoio, pois juntos nós podemos, através de matérias iguais a essa que você acabou de ler, buscar as transformações que tanto queremos”

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.