Felipão repensa término da carreira e rechaça favoritismo do Flamengo

GUAYAQUIL, EQUADOR (UOL/FOLHAPRESS) – O técnico Luiz Felipe Scolari concedeu a entrevista coletiva oficial da final da Copa Libertadores, no fim da tarde desta sexta-feira (28), no estádio Monumental, em Guayaquil (Equador), palco da decisão entre Athletico-PR e Flamengo. Num tom saudosista, o treinador falou novamente sobre a possibilidade de encerrar a carreira ao término da temporada.

"A emoção de estar presente numa final é uma emoção de alguém que já vivenciou diversos campeonatos, situações das mais diversas possíveis. Essa é mais uma decisão que nos dá uma possibilidade de pensar no quanto foi maravilhoso esse trabalho de quando começamos, não apenas no Athletico, mas também quando comecei como jogador. É o término, praticamente, de uma carreira muito feliz da minha parte", disse Felipão, complementando:

"Fico feliz, neste momento, de decidir uma Copa Libertadores. Vim de uma equipe pequena, o Aimoré, e hoje estou no Athletico nesta posição".

No entanto o treinador -que estava ao lado do capitão Thiago Heleno- deu a entender que pode repensar a aposentadoria a depender do que acontecer neste sábado em Guayaquil, embora não queira continuar por muito mais tempo.

"Não, anos mais, não. Pode ter certeza que não. Vou conversar com minha família, naturalmente. Se nós conseguirmos a vitória amanhã, terei que conversar com uma pessoa, que é o Mário Celso Petraglia [presidente do Athletico], e saber o que ele quer. Vim para cá com duas situações, e uma delas pode ser resolvida amanhã. Claro que eu tenho que conversar com a minha família. Nesses anos eu já dirigi sete países diferentes, em todos estiveram comigo meus familiares, eu convivo com eles há muitos anos", disse.

Multicampeão, inclusive de um Mundial com a seleção brasileira, Felipão rechaçou o favoritismo que tem sido dado ao Flamengo pela grande maioria das pessoas.

"Favoritismo? É 50% por 50%. São dois finalistas. Quem jogar melhor, pode vencer. Não ache que a equipe que chega na final é tão ruim quanto a melhor de todas. Quem está aqui é porque tem condições", ressaltou.

Questionado se havia descoberto uma fórmula para produzir um modo de vencer o Flamengo nesta decisão, Felipão fez uma analogia:

"Se eu estivesse em Gramado, no Rio Grande do Sul, eu diria que fabriquei chocolate, mas como estou aqui em Guayaquil, não sei o que eles fabricam aqui. Estamos nos adaptando ao estilo de jogo do Flamengo para tentar produzir alguma coisa. Tomara que amanhã a gente consiga os gols necessários para a vitória".

Athletico-PR e Flamengo se enfrentam neste sábado (29), às 17h (horário de Brasília), no estádio Monumental, em Guayaquil (EQU), pela grande final da Copa Libertadores.

Fonte: Notícias ao Minuto

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.