COVID19: Morre, o negacionista,  Olavo de Carvalho, guru bolsonarista, aos 74 anos, nos EUA

Virginia (EUA): Morreu nesta segunda-feira (24) o escritor e professor Olavo de Carvalho, aos 74 anos, em Richmond, na Virginia (EUA). A informação foi confirmada em uma nota de falecimento publicada no Twitter de Olavo.

O guru bolsonarista havia sido diagnosticado com Covid-19 e chegou a cancelar a transmissão de suas aulas online. Olavo fazia parte do grupo de risco para a doença.

“Nota de falecimento”

Olavo Luiz Pimentel de Carvalho (1947-2022)

Com grande pesar, a família do professor Olavo de Carvalho comunica a notícia de sua morte na noite de 24 de janeiro, na região de Richmond, na Virgínia, onde se encontrava hospitalizado.

O professor deixa a esposa, Roxane, oito filhos e 18 netos.

A família agradece a todos os amigos as mensagens de solidariedade e pede orações pela alma do professor.”

No último dia 9, havia surgido um rumor nas redes sociais de que o escritor teria morrido. A própria filha de Olavo, Heloísa de Carvalho, que cortou relações com o pai, escreveu que havia recebido a informação de que ele havia falecido.

“Acabaram de me falar que parece que o Olavão faleceu, gente eu não sei, não falo com absolutamente nenhum parente Carvalho”, escreveu Heloísa no Twitter.

No entanto, Paulo Figueiredo Filho, neto do general João Batista Figueiredo – que foi presidente entre 1979 e 1985 -, publicou em sua conta no Twitter que essa informação é falsa. Desde o início da pandemia, Olavo questiona a gravidade dela.

NEGACIONISTA

Em várias oportunidades, Olavo de Carvalho negou a ciência, diminuiu a gravidade da pandemia e da Covid-19, chegou a chamar o coronavírus de “vírus chinês”.

Em maio de 2020, ele escreveu: “O medo de um suposto vírus mortífero não passa de historinha de terror para acovardar a população e fazê-la aceitar a escravidão como um presente de Papai Noel.”

Em abril de 2020, o escritor disse: “Essa campanha para nos “proteger da pandemia” é o mais vasto e mais sórdido crime já cometido contra a espécie humana inteira.”

Ainda em abril de 2020, o escritor disseminou fake news ao insinuar que o coronavírus seria um “vírus chinês” e que não seria um acidente.

Em julho do mesmo ano, Olavo questionou quando conservadores parariam de usar o termo “pandemia” para se referir à pandemia de Covid-19. “Quando é que os ditos “conservadores” vão parar de usar o termo “pandemia”?”, escreveu em seu Twitter.

Em janeiro de 2021, o escritor colocou em dúvida a mortalidade do coronavírus, que chamava de “mocoronga vírus”. “Dúvida cruel. O Vírus Mocoronga mata mesmo as pessoas ou só as ajuda a entrar nas estatísticas?”, disse.

Fonte: IstoÉ  – Foto:  Vivi Zanatta / Agência O Globo

“O seu apoio mantém o jornalismo vivo. O jornalismo tem um papel fundamental em nossa sociedade. O papel de informar, de esclarecer, de contar a verdade e trazer luz para o que, muitas vezes, está no escuro.

Compromisso com a Verdade, esse é o trabalho de um jornalista e a missão do Redação Nacional.

Precisamos de você e do seu apoio, pois juntos nós podemos, através de matérias iguais a essa que você acabou de ler, buscar as transformações que tanto queremos”.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.