Congresso Nacional: Rodrigo Pacheco, os que invadiram o Congresso ‘Devem sofrer o rigor da lei com urgência’

4655

O presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco, usou sua rede social neste domingo, 8, para repudiar a última ação de um grupo de apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro: a de invadir o Congresso Nacional, na tarde deste domingo, 5, em um ato que pediu intervenção das Forças Armadas e a prisão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. “Repudio veementemente esses atos antidemocráticos, que devem sofrer o rigor da lei com urgência”, afirmou Pacheco.

Bolsonaristas sobem no Congresso Nacional, em Brasília — Foto: Afonso Ferreira/TV Globo

Apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro também se dirigiram ao Palácio do Planalto e à Praça dos Três Poderes, onde fica o Supremo Tribunal Federal (STF), com o discurso de fazer uma intervenção em todos os Poderes.

A polícia soltou gás de pimenta, mas mesmo assim pessoas que estavam na manifestação furaram o bloqueio de segurança. Os invasores reagiram às bombas de efeito moral usadas pelas forças policiais e conseguiram afastar as tropas. Depois de invadir o Congresso, os manifestantes se dirigiram à rampa do Palácio do Planalto.

Às 16h23, o senador Sérgio Moro foi ao Twitter se manifestar sobre as invasões. Ele afirmou que os protestos têm de ser “pacíficos” e que a oposição ao governo Lula “precisa ser feita de maneira democrática”. “Os invasores precisam se retirar dos prédios públicos antes que a situação se agrave”, escreveu.

Fonte: Agência Estado

“O seu apoio mantém o jornalismo vivo. O jornalismo tem um papel fundamental em nossa sociedade. O papel de informar, de esclarecer, de contar a verdade e trazer luz para o que, muitas vezes, está no escuro.

Esse é o trabalho de um jornalista e a missão do Redação Nacional.

Precisamos de você e do seu apoio, pois juntos nós podemos, através de matérias iguais a essa que você acabou de ler, buscar as transformações que tanto queremos.”