Câmara de Vereadores de Salvador: Aprova a derrubada do veto de Bruno Reis, em um ambiente com troca de agressões

A Câmara Municipal derrubou o Veto nº 09/22, parcial ao Substitutivo ao Projeto de Lei Complementar nº 5/2022, de autoria do Executivo Municipal. A decisão foi tomada em uma tumultuada sessão ordinária na tarde de ontem, em que edis da base e da oposição quase partiram para as vias de fato.

Foto: Reprodução, Redes Sociais

A sessão semipresencial foi conduzida pelo presidente da Casa, vereador Geraldo Júnior (MDB). Desarticulada, a base do prefeito Bruno Reis (União Brasil) até tentou derrubar a sessão, sem sucesso.

Com quórum de 22 vereadores, a Comissão de Constituição e Redação Final (CCJ) deu parecer favorável à derrubada do veto, conforme leitura do vereador Alexandre Aleluia (PL), presidente do colegiado. Em seguida, o veto do prefeito Bruno Reis foi colocado em votação, em plenário, sendo declarado derrubado pelo presidente Geraldo Júnior.

A bancada de oposição, liderada pelo vereador Paulo Magalhães Júnior (União), não concordou com o processo de votação e anunciou que judicializará o processo. O edil, inclusive, arremessou um copo de água em Geraldo e tentou agredi-lo na Mesa Diretora. Os seguranças, contudo, contiveram o vereador. A sessão ordinária foi encerrada logo em seguida.

Os agentes comunitários de saúde e de combate às endemias, interessados na votação, uma vez que a derrubada do veto pela Casa assegura a equiparação de vencimentos da categoria, conforme a PEC 120, e mantém as vantagens adquiridas ao longo de anos, comemoraram a decisão. Estima-se que a derrubada do veto possa causar um rombo de R$ 300 milhões nos cofres municipais.

Em nota, Paulo declarou que Geraldo age como “um tirano, um ditador, que não respeita o Regimento nem nenhuma lei apenas para atender aos seus próprios interesses”. O líder governista disse que a derrubada do veto sobre o projeto que trata dos agentes de endemias foi feita de forma irregular sob a condução de Geraldo.

“O que Geraldo está fazendo é criminoso e muito grave, sem quaisquer precedentes na história da Câmara. Nunca houve um presidente que descumpriu tanto o Regimento e a Lei Orgânica do Município. Geraldo age como um tirano, um ditador, que não respeita nenhuma lei apenas para atender aos seus próprios interesses”, criticou.

Em coletiva após a votação, Geraldo se defendeu das acusações de que o regimento da Casa foi derrubado. “O regimento foi honrado. São milhares de trabalhadores que precisam do apoio desta Casa”, ressaltou. Agora, Bruno Reis terá 48h a partir da votação para promulgar o resultado. Se não o fizer, o próprio Geraldo pode promulgá-lo.

Fonte: TRBN

“O seu apoio mantém o jornalismo vivo. O jornalismo tem um papel fundamental em nossa sociedade. O papel de informar, de esclarecer, de contar a verdade e trazer luz para o que, muitas vezes, está no escuro.

Compromisso com a Verdade, esse é o trabalho de um jornalista e a missão do Redação Nacional.

Precisamos de você e do seu apoio, pois juntos nós podemos, através de matérias iguais a essa que você acabou de ler, buscar as transformações que tanto queremos”

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.