Atos Anti Democráticos: ‘Fátima Tubarão’, é presa pela PF por envolvimento nos atos terroristas no DF

Atos Anti Democráticos, 8 de Janeiro: Maria de Fátima Mendonça Jacinto Souza, de 67 anos, conhecida como “Fátima Tubarão”, foi presa na manhã desta sexta-feira (27) na cidade de Tubarão, no sul de Santa Catarina. Ela foi alvo da terceira fase da Operação Lesa Pátria da Polícia Federal, que investiga os envolvidos nos atos terroristas do dia 8 de janeiro em Brasília (DF).

Além dela, outras cinco pessoas já foram detidas e outras seis estão sendo procuradas. Ao todo, a PF já cumpriu 11 mandados de prisão preventiva e 27 mandados de busca e apreensão nos estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina, Espírito Santo e Distrito Federal.

QUEM É ‘Fátima Tubarão’?

A mulher foi alvo da operação pois aparece em vídeos feitos por bolsonaristas dentro do Palácio do Planalto dizendo: “Vamos para a guerra, vou pegar o Xandão agora!”, referindo-se ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes.

Fatima responde pelos crimes de estelionato e falsificação de documento público — Foto: Redes Sociais/ Reprodução

Em outras imagens, Fátima declara: “Estamos quebrando tudo”.

Nas redes sociais, a idosa possui múltiplos perfis nos quais há publicações em apoio a pautas bolsonaristas, como o voto impresso e a paralisação de caminhoneiros após a eleição presidencial, no dia 30 de outubro de 2022.

FICHA CRIMINAL

A idosa possui ficha criminal, tendo inclusive uma condenação de 3 anos, 10 meses e 20 dias no regime semiaberto por tráfico de drogas.

Em 2014, ela foi flagrada por policiais militares varrendo a calçada da sua casa e falando em voz alta: “Vem para cá que não tem ninguém”. Nesse momento, um usuário de entorpecentes se aproxima.

Depois, um adolescente saiu da garagem da residência de Fátima com pedras de crack. No processo, a idosa argumentou que apenas realizava o aluguel de alguns quartos para obter uma renda. Mas os militares afirmaram que ela agia ativamente na ação.

Além disso, em 2012, Fátima foi denunciada pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) por falsificação de documentos e estelionato.

Na época, ela utilizou documentos falsos de uma outra mulher para realizar contratos de linhas telefônicas. O crime veio à tona após a vítima ser cobrada pelos planos de telefonia.

Fonte: IstoÉ

“O seu apoio mantém o jornalismo vivo. O jornalismo tem um papel fundamental em nossa sociedade. O papel de informar, de esclarecer, de contar a verdade e trazer luz para o que, muitas vezes, está no escuro.

Esse é o trabalho de um jornalista e a missão do Redação Nacional.

Precisamos de você e do seu apoio, pois juntos nós podemos, através de matérias iguais a essa que você acabou de ler, buscar as transformações que tanto queremos.”

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.