ADEUS, CAPITÃO: Franz Beckenbauer, faleceu pacificamente enquanto dormia ontem, domingo, cercado por sua família

1515

ADEUS, CAPITÃO: Franz Beckenbauer, considerado o maior nome da história do futebol alemão, morreu na noite de domingo, dia 07, aos 78 anos. Um comunicado da família foi divulgado pela imprensa alemã, sem detalhes sobre a causa da morte, apenas indicando que o ex-atleta morreu dormindo.

Franz Beckenbauer – Crédito: Ina FASSBENDER / POOL / AFP

Beckenbauer comenta 7 a 1 de 2014: “Dia fantástico para a Alemanha”

– É com profunda tristeza que anunciamos que meu marido e nosso pai, Franz Beckenbauer, faleceu pacificamente enquanto dormia ontem, domingo, cercado por sua família. Pedimos que possamos lamentar em silêncio e nos abster de qualquer pergunta – diz a nota.

Beckenbauer é um dos grandes ídolos da história do futebol alemão, tendo se consagrado campeão mundial com a seleção do país em 1974, dois anos depois de conquistar a Eurocopa. Como jogador, era referência histórica do Bayern de Munique, onde atuou por 13 anos e conquistou uma série de títulos.

O ex-zagueiro também entrou para a história das Copas do Mundo ao conquistar o Mundial de 1990 como treinador. Desta forma, está em um seleto grupo que conta apenas com Zagallo, morto na sexta-feira, aos 92 anos, e Didier Deschamps, atual comandante da seleção francesa.

Títulos como jogador (19):

  • 1 Copa do Mundo
  • 1 Eurocopa
  • 3 Ligas dos Campeões
  • 5 Campeonatos Alemães
  • 1 Mundial de Clubes
  • 4 Copas da Alemanha
  • 1 Recopa da Europa
  • 3 da NASL (EUA)

Títulos como treinador (4):

  • 1 Copa do Mundo
  • 1 Copa da Uefa (atual Liga Europa)
  • 1 Campeonato Alemão
  • 1 Campeonato Francês

Um ícone do Bayern e da Alemanha

Franz Beckenbauer nasceu no dia 11 de setembro de 1945, em Munique, dias após o fim da II Guerra Mundial. Sua família trabalhou na reconstrução da cidade, arrasada pela guerra, mas ele logo mostrou sua paixão pelo futebol.

Beckenbauer começou como atacante na base, no SC Munique 06. Mas no Bayern de Munique, o clube de sua vida, se descobriu como líbero e revolucionou a posição e a história do clube. Antes dele, o time bávaro havia conquistado o Campeonato Alemão apenas uma vez.

Ele conquistou o torneio quatro vezes com a camisa da equipe, além de quatro títulos da Copa da Alemanha e o tricampeonato seguido da Copa dos Campeões Europeus (atual Champions League), entre 1973 e 1976. Com 76 gols marcados, o ex-líbero é o quinto jogador com mais jogos pelo Bayern, 584.

SporTV Na Copa: Especial Franz Beckenbauer

No México, em 1970, o ex-zagueiro viveu um dos episódios que marcaram sua carreira: jogou com a clavícula quebrada na semifinal contra a Itália e não evitou a derrota por 4 a 3. No entanto, quatro anos mais tarde, veio a redenção. Beckenbauer viveria, nos anos seguintes, o seu auge como jogador.

Beckenbauer, na semifinal de 1970 contra Itália: alemão jogou com a clavícula quebrada — Foto: DB/picture alliance via Getty Images

Beckenbauer, na semifinal de 1970 contra Itália: alemão jogou com a clavícula quebrada — Foto: DB/picture alliance via Getty Images

Em 1974, após a conquista da Eurocopa de 1972, a Alemanha conquistou seu segundo título da Copa do Mundo com o Kaiser de protagonista e vitória por 2 a 1 sobre a Holanda de Johan Cruyff na final. Franz Beckenbauer foi Bola de Ouro em 1972 e 1976. Ele e Rummenigge são os dois únicos alemães a conquistarem o prêmio mais de uma vez.

Beckenbauer teria mais dois clubes em sua carreira além do Bayern. Campeão de tudo com o time bávaro e da Euro e da Copa do Mundo com a Alemanha, ele optou por um final de carreira nos Estados Unidos. No New York Cosmos, se juntou a Pelé para e outros grandes nomes do futebol da época.

Na equipe, eles conquistaram três títulos da NASL, a liga disputada pelo Cosmos. O líbero alemão ainda voltou a jogar no seu país natal, em duas temporadas pelo Hamburgo, mas voltou aos Estados Unidos em 1983, no seu último ano como jogador, novamente na equipe de Nova York.

Pelé e Beckenbauer — Foto: REUTERS/Tobias Schwarz

Pelé e Beckenbauer — Foto: REUTERS/Tobias Schwarz

A carreira como técnico

 

Em 1984, Beckenbauer assumiu a seleção da Alemanha e iniciou sua carreira como técnico. Na sua primeira Copa do Mundo como comandante, chegou à final e perdeu para a Argentina de Maradona, em 1986. Em 1990, a história foi diferente.

Em uma grande campanha, Beckenbauer levou a Alemanha ao seu terceiro título mundial ao superar, nos pênaltis, o rival de quatro anos antes: a Argentina. Depois de Zagallo, ele se tornava ali o segundo da história do futebol a erguer a Copa do Mundo como jogador e técnico.

A carreira de treinador durou apenas mais alguns anos. Ele comandou o Olympique de Marselha e treinou o Bayern de Munique por duas temporadas, onde conquistou os títulos da Bundesliga e da Copa da Uefa – atual Liga Europa.